Mioma uterino

Também chamado de fibroma ou leiomioma uterino, o mioma uterino é uma espécie de tumor benigno formado a partir do miométrio, um músculo do útero. É um aglomerado de células que tem a capacidade de se desenvolver para dentro ou para fora do órgão, podendo ainda alterar o formato deste.

Embora seja um tumor, ele raramente se transforma em câncer. Aparece na idade fértil da mulher, não tendo registro de ocorrências antes da primeira menstruação ou após a menopausa. Geralmente surge entre os 40 e 50 anos, podendo passar despercebido para algumas, que não relatam sintoma algum.

O mioma é formado a partir da mutação de uma célula, esse tumor pode ser de vários tipos e variar bastante de tamanho. Apesar de, na grande maioria dos casos, não ser um fator de muita preocupação, é importante ter o acompanhamento de um médico, pois ele determinará como proceder em cada caso específico.

A manifestação dos miomas varia de acordo com uma série de fatores, como localização, tamanho etc. Por essa razão, é possível que algumas mulheres não apresentem sintomas, o que reforça ainda mais a necessidade de fazer consultas periódicas. Por outro lado, há casos que os sinais aparecem e é preciso estar atenta. 

Um mioma uterino pode provocar mudanças no ciclo menstrual, o que é notado especialmente pelas mulheres de menstruação regular. A tendência é que o período se torne mais longo — com sete ou mais dias — ou mais abundante.  As vezes poderão ocorrer focos de sangramentos atípicos, tanto fora como dentro do ciclo, também costumam acontecer. Algumas vezes, esse sangue apresenta coágulos.

Dependendo do tipo e da localização do mioma, a paciente enfrenta dificuldades para engravidar, visto que a nodulação, dependendo de onde estiver inserida, poderá dificultar a fixação do embrião no útero ou até mesmo a fertilização do óvulo pelo espermatozoide.

As cólicas são outra consequência do mioma uterino, principalmente no período menstrual. Além disso, devido à pressão aos outros órgãos, dores pélvicas ou nas costas também podem ocorrer. No caso do mioma em parturição, a sensação é similar à dor de um parto.

Sentir dores durante a penetração pode ser um sinal de mioma, especialmente em parturição. Isso acontece porque o impacto do pênis com o colo do útero provoca reflexos, os quais podem ser extremamente dolorosos.

Quando o mioma pressiona a bexiga, a vontade de ir ao banheiro fica mais frequente ou, ainda, há a possibilidade de ocorrer uma dificuldade de esvaziar o órgão. Quanto aos sintomas intestinais, a pressão provocada pelo mioma nesse órgão chega a gerar prisão de ventre.

Em alguns casos o mioma alcança um tamanho que provocar distorções ou amplia o tamanho do útero, o que consequentemente causa inchaço abdominal e dá uma aparência de aumento de volume do abdômen.

O diagnóstico é feito através do exame ginecológico e confirmado pela ultrassonografia pélvica ou transvaginal.  Em alguns casos o exame de Ressonância magnética da pelve é necessário para a confirmação.

Na maior parte dos casos a paciente com mioma é assintomática. Porém as que apresentam sintomas poderão ser tratadas com medicações para o controle dos sintomas e em poucos casos a cirurgia se faz necessária.

Fechar Menu
WhatsApp WhatsApp